24.6.12




Curso de tradução em gotas V


Terminada a minha licença-prêmio (todo funcionário público tem direito a 6 meses de licença depois de sei lá quanto tempo de trabalho). É claro que não sou funcionária pública, portanto não tive férias nem licença, mas excesso de trabalho. Peço desculpas aos leitores  pela demora, mas até que não foi tão grande num país onde hoje em dia se espera a vida inteira pela educação, que não chega nunca, né mesmo? Bom, agora vamos deixar a política de lado e voltar ao nosso assunto principal.

Recebi inúmeros emails perguntando pelas gotas enquanto estive afastada, mas, como sou uma só, às vezes fica difícil administrar o trabalho, a saúde e o blogue. Quase semore preciso abrir mão de um dos três.

Tenho, porém, uma ótima noticia: o Curso de Tradução em Gotas agora tem um associado, o grupo Traduções de Merda, hospedado no Facebook (https://www.facebook.com/groups/417894821565947/). E, por falar nisso, tudo o que for publicado aqui neste blogue, será publicado também no grupo de mesmo nome que acabo de criar no Facebook (https://www.facebook.com/groups/434684573220830/). Em outras palavras, as Gotas agora têm dois endereços e um grupo associado! A gota vai crescendo e a nossa intenção é transformá-la num maremoto, que atinja todos os tradutores da língua portuguesa para que parem de reinventar a roda, parem de repetir os mesmos erros desde tempos imemoriais e se valorizem cada vez mais! Não são os tradutores unidos que jamais serão vencidos, mas os tradutores cultos, aqueles que conseguem desmontar os argumentos sem sentido de quem quer se impor sem entender do riscado, não é mesmo?

Todos os interessados no Curso de Tradução em Gotas estão convidados a se inscrever no nosso grupo no Facebook e no nosso associado, o Traduções de Merda, que também contém lições inestimáveis.

O Troféu TdM (que é a sigla de Traduções de Merda) de hoje vai para "pensar fora da caixa", que é uma tradução literal ridícula do inglês, que vem sendo repetida ad nauseam por gente que aprendeu inglês até o buquitu, nem da cartilha do português saiu, mas já "se acha". Troféu TdM nessa turma!


E, já que o texto está ficando longo e até agora a aula foi mais administrativa que didática, aqui vai uma dica para a turma que passa batida pelas expressões idiomáticas originárias do beisebol e traduz de qualquer maneira, tradução muitas vezes literal, que nada significa em português. Entender essas expressões já é um bom começo! Este glossário, http://www.answers.com/topic/english-language-idioms-derived-from-baseballé leitura obrigatória para os futuros tradutores do inglês para qualquer língua, de qualquer área de especialização, pois essas expressões estão entranhadas no linguajar cotidiano dos americanos.


E, para aprender a traduzir expressões esportivas, não só do beisebol, mas de muitos outros esportes, a dica é:
O Inglês na Marca do Pênalti
A terminologia esportiva em inglês aplicada no dia-a-dia das pessoas e empresas


Disal Editora, 2003

Fui aluna do Ulisses no curso que acabou se transformando nesse livro e recomendo sem ressalvas!

Vou ficando por aqui. O vídeo de hoje é o scherzo de A Midsummer Night's Dream de Felix Mendelssohn, op. 61, em homenagem às origens da comemoração de hoje, o dia de S. João. Espero que gostem.



0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home