21.4.07




A Anomia


Há anos percebo e comento essa coisa (é melhor dizer que baixo o sarrafo nela), mas nunca tinha "ligado o nome à pessoa", isto é, ainda não tinha pensado em dar nome ao fenômeno que acontece no mundo inteiro e invadiu a lingüística, mas, obviamente, está bem mais perceptível no Brasil para nós, brasileiros. É claro que tudo o que acontece no mundo passa antes pela linguagem, mas os estudiosos da lingüística são sempre os últimos a perceber - se é que chegam a perceber - o que se passa. Talvez caiba aqui aplicar aos lingüistas o neologismo onfalolatria. Língua e política são assuntos interligadíssimos, mas os lingüistas brasileiros, por exemplo, preferem enterrar a cabeça de avestruz no próprio umbigo e partir para a briga com quem quer que cometa o pecado mortal de tocar em política dentro do templo sagradíssimo da lingüística e de sua deusa, a Accademia.

Ivone Benedetti (uma das mais importantes tradutoras do Brasil), brilhante como sempre, fez o diagnóstico certeiro:

A Anomia
Ivone Bededetti

Primeiro uma definição.

Segundo os sociólogos: A anomia é uma situação social na qual faltam coesão e ordem, especialmente no tocante a normas e valores. As suas características são: formulação ambígua ou aplicação arbitrária ou casual de normas; falta de definição das normas vigentes por motivo de guerra ou calamidade social; isolamento e autonomia do indivíduo a tal ponto que as pessoas se identificam muito mais com seus próprios interesses do que com os do grupo ou da comunidade como um todo.

Há algum tempo os sociólogos vêm dizendo que a partir da década de 70 a sociedade ocidental entrou numa fase que tem visíveis características anômicas. E olha que quem está dizendo isso é um povo que nunca esteve no Brasil!

Enfim, estou escrevendo essas coisas a fim de chamar a atenção para o fato de que a anomia atinge todos os aspectos da vida social, inclusive o lingüístico. Mas é pena que os lingüistas se limitem a constatar aquilo que a minha avó já sabia (antes da anomia) e não dêem a mínima para as possíveis interpretações dos fenômenos óbvios que descrevem muitas vezes em estilo acaciano. Também interessante é notar que os anômicos (os que já nasceram na sociedade anômica) tendem a tomar a anomia por norma, donde surge outra norma (que é cruzamento da norma antiga com a anomia, mais alguma coisa), mas esse é um processo longo, e é preciso usar certas lentes para enxergá-lo.



Mais informações sobre anomia:

Verbete do Dicionário Político de Maurício Assumpção Moya:

ANOMIA

O vocábulo grego que dá origem ao termo anomia significa "sem normas", o que permite entendê-la como uma situação de desregramento social, onde a ação dos indivíduos não mais é pautada por normas claras e compartilhadas. O conceito de anomia é usado por diversos autores da Sociologia, nem sempre com as mesmas aplicações. Esta variação se deve ao fato de que ela não se trata de um fenômeno regular nem organizado, caracterizado por algo que ele não tem (regras), o que dificulta o estabelecimento de elementos coerentes para análise. Durkheim foi o primeiro a tentar precisar este conceito, que apresentou como a ruptura de laços de solidariedade entre os indivíduos, podendo ser causado por inúmeros fatores. O principal deles é a individualização: o indivíduo não mais orienta seus atos através de valores comuns, mas segundo as próprias intenções. A definição durkheimiana aproxima-se em sua aplicação à idéia de alienação marxista: guardando algumas diferenças contextuais, ambas descrevem um quadro de desregulamentação da conduta individual, de caos social provocado na grande maioria dos casos por defeitos no processo de socialização. De acordo com estas proposições, quanto maior a anomia menor a integração entre os indivíduos. Um exemplo de anomia é o uso de drogas ilegais por membros da sociedade. Por algum motivo pessoal, eles aceitam sustentar uma atividade criminosa para satisfazer ao seu interesse exclusivo, muitas vezes pondo em risco a sua vida e o bem-estar de pessoas próximas. É uma situação onde o indivíduo perde o quadro de referências e de valores comuns. Outro exemplo de situação anômica é a utilização consciente de meios ilícitos para se conseguir um resultado almejado. Neste caso trata-se de uma opção por formas de agir condenadas pela sociedade, possivelmente causada pela impossibilidade de sucesso por outros meios. Cabem aqui os grupos terroristas, as organizações mafiosas, que se aproveitam de espaços sem autoridade para agirem segundo seus princípios distorcidos. De acordo com esta definição, há anomia onde as instituições sociais não conseguem fazer valer sua força, seja por encontrar outras práticas mais fortes ou por incompatibilidade com o meio. A idéia de anomia pode portanto, em alguns casos, encerrar um conteúdo preciso. Mas esta possibilidade diminui conforme tentamos aplicá-la a sistemas sociais mais complexos. Quando referida a uma organização menor, a anomia pode ser definida de maneira clara, uma vez que toda organização é sempre definida em relação a objetivos. O grau de anomia dessa organização será determinado conforme a capacidade de seus membros em atingir os objetivos propostos: quanto menor essa capacidade, maior a anomia. Mas o mesmo não acontece quando passamos do nível das organizações para o nível das sociedades. As sociedades não são definidas em relação a objetivos. Por isso é muito mais difícil neste caso estabelecer uma conceituação de anomia mais exata que a simples "ausência de regras"



Outros sítios interessantes:

Anomia - una parola che spiega il presente?http://www.girodivite.it/Anomia-una-parola-che-spiega-il.html

Crime and Deviance:
http://www.hewett.norfolk.sch.uk/curric/soc/crime/crim.htm

Extracts from Emile Durkhein: http://www.mdx.ac.uk/WWW/STUDY/xdur.htm

A Sociologia de Émile Durkheim: http://www.culturabrasil.org/durkheim.htm

A sociologia de Durkheim (
artigo interessante, porém acrescento uma ressalva: a redação da autora é um genuíno exemplo de anomia lingüística - ela atropela o vernáculo sem dó nem piedade): http://www.duplipensar.net/lit/francesa/2004-02-durkheim.html

A anomia também denomina um dos tipos de afasia. É um fenômeno digno de nota porque, somando-se a anomia social à anomia lingüística, temos um mal muito semelhante à anomia médica.

Voltarei a este assunto.

Labels: ,

2 Comments:

Anonymous Luiz Reis said...

Interessante o tema. Além disso, nos faz pensar que a internet, um canal que deveria ser o meio de conhecimento para o melhoramento de tudo, tornou-se arma nãos mãos de seres que só se interessam pelas bobagens, pelo sexo desmedido pelas câmeras, por joguinhos que não ensinam exatamente nada...tanta coisa pra aprender e é isso que dá, hoje. Parabéns por você, jussara, fazer a diferença!

18:30  
Anonymous Figueira Junior said...

"...isolamento e autonomia do indivíduo a tal ponto que as pessoas se identificam muito mais com seus próprios interesses do que com os do grupo ou da comunidade como um todo..."
Precisa coisa mais realista do mundo pra mostrar o pq de tanta ganância?
Parabéns Ju.
Figueira Junior

22:25  

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home